terça-feira, 30 de setembro de 2014

“SONHAR O SONHO DE DEUS NA FAMÍLIA DE SÃO GUIDO MARIA CONFORTI"


“O amor de Cristo nos impulsiona!” (2 Cor 5,14)


Saudações missionárias gente querida! Iniciando o mês Missionário celebrando Santa Teresinha do Menino Jesus, me aproximo do encerramento de mais um semestre formativo na Comunidade Xaveriana de Filosofia. Nesta alegria e num gesto de gratidão pela experiência construída, partilho um pouco da minha caminhada vocacional, unindo-me a todos os vocacionados que com generosidade respondem “sim” ao chamado de Jesus Cristo.
Sou Giomar Henrique Clemente, 30 anos, indígena da etnia Baré, natural de São Gabriel da Cachoeira, Amazonas, região norte do Brasil, e desde 05 de Fevereiro de 2013 integro a Comunidade Xaveriana de Filosofia em Curitiba, Paraná, cursando o atualmente o 2º ano de filosofia.
Giomar Henrique Clemente

Localização de São Gabriel da Cachoeira-AM
Como todo chamado vocacional tem um começo, lugar, situação, e necessariamente uma resposta de quem o recebe, destaco como primeiro elemento neste sentido, aquilo que chamo de “propaganda” sobre Jesus Cristo realizada por meus pais em casa, sobretudo por meio da experiência de Comunidade vivenciada por eles. Anos depois, consequência desta divulgação, aprofundo na catequese e no Grupo de Jovens da Pastoral da Juventude este encontro, tendo aí o seu amadurecimento com o engajamento pastoral. Foram experiências de fé que possibilitaram construir minha identidade como igreja, assumida pessoalmente com mais convicção após o sacramento da crisma.
A partilha da vida nos encontros, nas celebrações, nas amizades e nos desafios levantados por aquela realidade de minha Comunidade, me levam ao encontro de uma Igreja-povo-de-Deus que me conquista e me envolve cada vez mais. É nesse espaço que alimento minha espiritualidade, aprofundo minha fé, conheço pessoas, e alí brota a curiosidade pela Vida Religiosa Consagrada, despertada a partir da presença dos religiosos e religiosas que conosco caminham nas pastorais. Inicia assim minha inquietude vocacional, no primeiro momento sem muita seriedade de minha parte, e ao longo dos anos assume fortes características que me fazem buscar orientação com alguém, que prontamente me acolhe e me acompanha nessa trajetória.
Aos 17 anos, cursando ainda o ensino médio, alimento o desejo de entrar para uma Comunidade Religiosa, mas somente aos 25 anos, concluindo a faculdade, a realizo em 2009, com os Salesianos na cidade de Manaus (AM). Com eles permaneço até o final de 2010, quando com plena liberdade peço para sair do processo formativo motivado em aprofundar a vocação do Leigo Consagrado. Em 2011, embora a boa vontade, não se torna possível concretizá-lo por diversos fatores. Permaneço em minha Comunidade ajudando nas pastorais, trabalhando, estudando, e deixando que o tempo iluminado pela oração possa indicar um novo passo. Admito que foram momentos de deserto, por me fazer sentir a aridez da espera, com os rumos da busca vocacional alterada que me exigiram encontrar e construir fundamentos sólidos para minha opção de vida. A travessia foi certamente uma escola de aprendizagem.

A VOCAÇÃO XAVERIANA...
Ao final de 2011 conheci os Missionários Xaverianos através da internet e mantive os primeiros contatos por este meio virtual, até o momento que pude participar do Estágio Vocacional em Novembro de 2012. A distância geográfica era certamente o maior dos obstáculos, sobretudo o custo da viagem, ao qual com a colaboração de minha paróquia de origem e dos próprios Xaverianos foi possível superá-lo. Recordo com alegria a chegada à Casa Xaveriana por volta das 0hs de uma quinta-feira, embora sofrendo com o clima frio da cidade que também me dava boas vindas. Foi uma aventura movida pelo sonho vocacional, possível somente porque diversas pessoas apostaram e acreditaram comigo.
Encontro dos Formandos Xaverianos Julho/2014 em Londrina-PR
O Estágio ocorreu nos dias 01 a 04 de Novembro de 2012, e ao final do mesmo recebi a proposta de ingressar no processo formativo Xaveriano em 2013. Por ser minha segunda experiência numa Casa de Formação Religiosa, senti pesar a responsabilidade de minha decisão, e mesmo com o grande desejo de expressar “sim”, percebi que precisava acalmar a alegria brotada no Estágio para poder dar uma resposta, pois implicava certamente uma grande mudança. Retornei à minha cidade contente pela experiência realizada, rezando pra que minha escolha fosse iluminada por Deus. Ao final de Novembro de 2012 manifestei minha resposta, aceitando sonhar o sonho de Deus na família Xaveriana.
Em Fevereiro de 2013 chegava à Curitiba para compor a Comunidade de Filosofia e a acolhida dos demais me ajudou na integração das atividades da casa e no novo ritmo de vida que iniciava naquele momento. Tive de aprender a me agasalhar para conviver com o clima frio da nova realidade, sendo esta uma necessidade urgente nos primeiro meses de adaptação. O calor intenso prevalecente em minha região agora era substituído pelas temperaturas de 4ºC, 10°C, um desafio rigoroso e exigente. Brinco ainda hoje diversas vezes em Comunidade, afirmando que minha vocação segue a dinâmica do tempo, esquentando e esfriando conforme a temperatura de cada dia. Na verdade, esta dinâmica me recorda que a vocação é processo, e como tal merece ser cuidada, seja do excesso de “frio” ou de “calor” em alguns momentos da caminhada. É fundamental não esquecer com os anos, que preciso todos os dias renovar a opção que me trouxe aqui: seguir Jesus Cristo na vida religiosa xaveriana.
Os estudos na faculdade, pastoral nas comunidades, formação, oração, celebração, convivência com os irmãos e com o povo nos diversos espaços, foram e são elementos que marcam meu processo formativo na Casa Xaveriana. Destaco como momento forte nesta caminhada, a alegria de participar na Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro em julho de 2013, iluminado e animado pela Campanha da fraternidade sobre juventude, o Ano da fé, e a celebração dos 60 anos de presença dos Missionários Xaverianos no Brasil. Defino a experiência da Jornada como dias de comunhão, que trouxeram um novo vigor missionário para cada batizado. À mim particularmente, intensificou meu chamado vocacional através do encontro com os participantes de diferentes nacionalidades, que seguindo Jesus Cristo comungavam a mesma missão: anunciar o Evangelho com alegria aos confins da terra.
Como filhos de Dom Guido Maria Conforti, os Xaverianos tem como  missão     doar-se pela evangelização dos não-cristãos, respondendo o mandato de Jesus Ide por todo o mundo, proclamai o Evangelho a toda criatura.” (Mc 16,15). É abraçando este ideal missionário que somos [...] enviados a populações e grupos de homens não-cristãos, fora do nosso ambiente, cultura e Igreja de origem” para que assim “[...] proclamemos o Reino de Deus onde ele ainda não é reconhecido, que denunciemos tudo o que a ele se opõe, que o revelemos já presente nos sinais, que colaboremos para a sua vinda”. (Constituições Xaverianas núm.7 e 9).
Confraternização na Ordenação Sacerdotal de Adriano Cunha, Agosto/2014
É nesta família que desde já vivo minha vocação, acreditando que também posso colaborar para que Jesus Cristo seja conhecido e amado no mundo inteiro, através da missão além fronteiras. O desafio é imenso certamente, mas a alegria da escolha e da vivência também, consciente que sou apenas um instrumento nas mãos de Deus. Dirijo-me enfim, àqueles que sentem o apelo vocacional fortemente presente em suas vidas, especialmente os que sonham com a missão além fronteiras, apresentando-os a VOCAÇÃO XAVERIANA como uma proposta de Vida Missionária ad gentes por meio da consagração religiosa. Venha sem medo somar conosco este projeto de Jesus Cristo idealizado por São Guido: “fazer do mundo, uma só família”! Venha ser um Missionário Xaveriano!
Valeu gente querida! Um grandioso abraço e uma intensa vivência do mês missionário à todos!

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Agosto Mês das vocações

3º Domingo: Vida Religiosa


Parabéns a todos os religiosos e religiosas que com o seu sincero sim, seguem a Cristo com amor através dos votos de: Pobreza, Castidade e Obediência! 

CONSAGRADOS PARA A MISSÃO: DESPERTEM O MUNDO

PARTE DO DISCURSO DO PAPA AOS SUPERIORES RELIGIOSOS

O Papa Francisco começou dizendo que ele é um religioso também e que, portanto, sabe da experiência sobre a qual estavam falando. O último papa que pertenceu a uma ordem religiosa foi o camaldulense Papa Gregório XVI, eleito em 1831. Ele então fez referência explícita a Bento XVI: “Disse que a Igreja cresce através do testemunho, não do proselitismo. O testemunho que pode, realmente, atrair é aquele associado a atitudes não habituais: generosidade, desapego, sacrifício, esquecimento de si próprio no intuito de ajudar os outros. Eis o testemunho, o ‘martírio’, da vida religiosa. Para as pessoas isso ‘soa como um alerta’. Os religiosos falam às pessoas com sua vida: ‘O que está acontecendo?’ Estas pessoas estão me dizendo alguma coisa! Elas vão além de um horizonte mundano. ‘Portanto – continuou o papa citando Bento XVI a vida religiosa deve promover um crescimento na Igreja via atração.
Dessa forma, a “Igreja deve ser atraente. Despertem o mundo! Sejam testemunhos de uma forma diferente de fazer as coisas, de agir, de viver! É possível viver neste mundo de forma diferente. Estamos falando de uma perspectiva escatológica, dos valores do Reino aqui encarnados sobre esta terra. Trata-se de deixar todas as coisas para seguir ao Senhor. Não, não quero dizer ‘radical’. A radicalidade evangélica não é apenas para os religiosos: ela é exigida de todos. Porém, os religiosos seguem ao Senhor de forma especial, seguem-no profeticamente. É este testemunho que espero de vocês. Os religiosos e as religiosas deveriam ser pessoas capazes de despertar o mundo”.
O Papa Francisco reitera conceitos que já houvera citado, explorando-os mais aprofundadamente. Com efeito, continuou: “Deverão ser testemunhas reais de um modo diferente de ser e agir. Mas, na vida, é difícil as coisas sempre serem claras; elas precisam ser bem delineadas. A vida é complicada, consistindo de graça e pecado. Aquele que não peca não é humano. Todos cometemos erros e precisamos reconhecer nossas fraquezas. Um religioso que se reconhece como fraco e pecador não nega o testemunho ao qual é chamado a dar; pelo contrário, ele a reforça, e isso é bom para todos. O que espero de vocês é, pois, dar testemunho. Quero este testemunho especial por parte dos religiosos”.

terça-feira, 12 de agosto de 2014

Agosto Mês das vocações

2º Domingo: Dia dos Pais e Semana Nacional da Família!

Parabéns a todos os pais e que juntos formemos uma grande família no mundo inteiro!

domingo, 3 de agosto de 2014

Agosto Mês das vocações

1º Domingo: Dia dos Ministérios Ordenados  Diáconos, Padres e Bispos, Parabéns à todos e obrigado pelo SIM de cada um!!!


quarta-feira, 5 de março de 2014

Convivência Vocacional 2014

Aconteceu no seminário xaveriano de filosofia em Curitiba, neste feriado de carnaval a Iª convivência Vocacional 2014. que contou com a presença de 11 jovens vindos dos estados de São Paulo e Paraná. 
da esquerda pra direita de pé: Evanderson (3º ano de filosofia), Ir. Marlene Pantoja (Xaveriana), Lucas Botelho (Ivaiporã - PR), Rafael (Piracicaba - SP), Pe. João Bortoloci (reitor da comunidade), João Pedro (Piracicaba - SP), Matheus (Cambé- PR), Lucas Oliveira (3º ano do ensino médio no Seminário Xaveriano - Londrina- PR), Hugo (1º ano de filosofia), Adriel (Piracicaba - PR). Agachados das esquerda pra direita: Alexandre Gondim (Itararé- SP), Guilherme (Piracicaba- PR), Pe. Miguel (Vice- reitor desta comunidade), Giomar (2º ano de filosofia), Cleverson (3º ano do ensino médio no  Seminário Xaveriano - Londrina- PR), Alexandre Silva (3º ano do ensino médio no Seminário Xaveriano - Londrina- PR), Alfredo (3º ano de filosofia). 

o encontro teve como tema principal: a passagem do evangelho de João 1, 35-50 "vinde e vede".